O silêncio das montanhas que nos emociona no caldeirão de histórias contadas por Khaled Hosseini

Hosseini se mostra mais uma vez brilhante em seu dom de falar sobre vidas humanas, suas dores, suas lutas, suas angústias, suas fortalezas mexendo com a força das nossas emoções.
Hosseini se mostra mais uma vez brilhante em seu dom de falar sobre vidas humanas, suas dores, suas lutas, suas angústias, suas fortalezas mexendo com a força das nossas emoções.

O silêncio das montanhas, de Khaled Hosseini, foi o meu livro eleito para estrear as leituras em 2019. Escolhi uma obra na qual a história se passasse em um país que eu ainda não conhecesse – umas das minhas propostas de leitura para o primeiro mês do ano. Meu destino foi o Afeganistão, um país que sabemos muito pouco a respeito a não ser pela guerra que o domina e pelas notícias tristes que nos chegam, rotineiramente, pela mídia contando sobre as consequências da ocupação talibã, movimento nacionalista islâmico que governou o país entre 1996 e 2001, e sobre os conflitos que perduram até hoje com a ocupação dos Estados Unidos em seu território.

Apesar da guerra aparecer como pano de fundo, até porque é muito difícil falar sobre o Afeganistão e ignorar esse contexto, este não é um livro sobre a guerra, ela não é a nossa personagem principal muito embora seja a senhora do destino de muitas vidas que passamos a conhecer a partir da narrativa de Hosseini.

O fio condutor deste enredo é a história de dois irmãos, Pari e Abdullah, que são separados na infância após a morte da mãe. O pai deles se casa novamente e, em meio a uma vida miserável numa pobre aldeia no interior do país, ele se vê obrigado pelas circunstâncias da vida a separar os dois irmãos e a entregar a pequena Pari a uma família rica que mora em Cabul, capital do Afeganistão. O laço de fraternidade e amor entre estes dois irmãos, principalmente, do Abdullah, o irmão mais velho e portanto o mais consciente a respeito do que ocorre e um dos que mais sofre com esta separação, vai guiar essa história ao longo do tempo, arrancando lágrimas até do leitor mais desatento e impassível, não tem como não ser tocado pela relação entre estes irmãos.

Várias outras histórias se conectam a esse enredo principal e ao destino destes dois irmãos e neste ponto Hosseini – que já havia mostrado todo o seu talento para contar histórias em O caçador de pipas e A cidade do sol também ambientadas no Afeganistão – se mostra mais uma vez brilhante em seu dom de falar sobre vidas humanas, suas dores, suas lutas, suas angústias, suas fortalezas mexendo com a força das nossas emoções, despertando o nosso olhar de amor e compaixão em relação aos nossos semelhantes.

Sinceramente, termino esse livro achando cada um de seus personagens tão especiais, tão humanos, tão iluminados que a vontade era poder abraçar cada um deles. Talvez seja por isso que a crítica ao falar de Hosseini diga sempre que ele é um dos poucos escritores da atualidade que sabem envolver seus leitores com a força das emoções humanas.

” Só estou dizendo que é grosseiro publicar as boas ações num quadro de aviso. Há coisas que é melhor fazer em silêncio, com dignidade. Ser generoso é mais do que assinar cheques em público” (pg. 127), diálogo entre Idris e Nahil, personagens que de certa forma estão conectados com a vida dos dois irmãos. A impressão que se tem com a narrativa de Hosseini é que fazemos parte de uma teia na qual cada história está ligada a outra, uma costura perfeita de um tecido chamado vida.

 

Ficha técnica do livro

Título: O silêncio das montanhas

Autor: Khaled Hosseini

Editora: Globo Livros

Ano: 2013

Edição: 1ª edição

Total de Páginas: 352

 

Sinopse oficial: Dez anos depois do aclamado “O caçador de pipas”, o escritor afegão Khaled Hosseini volta à cena literária com “O silêncio das montanhas”. O romance traz como protagonistas os irmãos Pari e Abdullah, que moram em uma aldeia distante de Cabul, são órfãos de mãe e têm uma forte ligação desde pequenos. Assim como a fábula que abre o livro, as crianças são separadas, marcando o destino de vários personagens. Paralelamente à trama principal, Hosseini narra a história de diversas pessoas que, de alguma forma, se relacionam com os irmãos e sua família, sobre como cuidam uns dos outros e a forma como as escolhas que fazem ressoam através de gerações. Assim como em O caçador de pipas, o autor explora as maneiras como os membros sacrificam-se uns pelos outros, e muitas vezes são surpreendidos pelas ações de pessoas próximas nos momentos mais importantes. Segundo o próprio Hosseini, o novo título “fala não somente sobre a minha própria experiência como alguém que viveu no exílio, mas também sobre a experiência de pessoas que eu conheci, especialmente os refugiados que voltaram ao Afeganistão e sobre cujas vidas tentei falar tanto como escritor quanto como representante da Organização das Nações Unidas. Espero que os leitores consigam amar os personagens de “O silêncio das montanhas” tanto quanto eu os amo”. Seguindo os personagens, mediante suas escolhas e amores pelo mundo – de Cabul a Paris, de São Francisco à Grécia –, a história se expande, tornando-se emocionante, complexa e poderosa. É um livro sobre vidas partidas, inocências perdidas e sobre o amor em uma família que tenta se reencontrar.

 

Sobre o autor: Nascido em 1965 no Afeganistão e naturalizado estadunidense, o escritorkhaled de romance e ficção Khaled Hosseini também é médico. Enquanto residia em Paris com a família, comunistas tomaram o poder do Afeganistão por meio de um golpe de estado, impossibilitando-os de retornar ao seu país de origem. Assim, a família Hosseini precisou de asilo político e passou a residir em San Jose, na Califórnia, além de contar com a ajuda governo para manter-se. Khaled é o autor do best seller The Kite Runner, em português O Caçador de Pipas. Além de The Kite Runner, que passou 101 semanas na lista de best sellers, o autor possui outros livros de sucesso, entre eles A Thousand Splendid Suns, no Brasil A Cidade do Sol, que ficou vinte e uma semanas na lista do The New York Times Best seller de ficção, e quarenta e nove semanas na lista do New York Times best seller. Juntos, seus dois romances mais conhecidos já venderam mais de 38 milhões de cópias no mundo. Os três livros publicados pelo autor: A cidade do sol O caçador de pipas O silêncio das montanhas

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s